O Portal do CFC está passando por manutenção e por isso alguns links podem apresentar erros. Estamos trabalhando para normalizar o acesso o mais brevemente possível.

Palestra sobre tecnologia marca a abertura da XII Convenção de Contabilidade de Minas Gerais

Por Rafaella Feliciano
Comunicação CFC

Zulmir Breda, presidente do CFC

Gestão, conhecimento, tecnologia, ética e responsabilidade social. As palavras-chave integram a programação da XII Convenção de Contabilidade de Minas Gerais, que acontece em Belo Horizonte (MG), de 5 a 7 de junho, com grandes debates sobre a inovação disruptiva nos negócios.
Na manhã desta quinta-feira (6), mais de mil e quinhentas pessoas estiveram na abertura do encontro, que contou com palestra do presidente do Conselho Federal de Contabilidade, Zulmir Breda, trazendo “Reflexões sobre os impactos da tecnologia na profissão”.

Segundo ele, diante das inovações, o papel do contador precisa estar sempre em evolução, para acompanhar os impactos da tecnologia e garantir eficiência para o cumprimento técnico e científico das atribuições contábeis. “Não devemos ter medo da Inteligência Artificial. O que precisamos entender é que a automação vai substituir algumas das nossas tarefas. E a missão é inovar, buscar capacitação e formas de acompanharmos a revolução tecnológica, como sempre fizemos em toda a história”, comentou.

Para Zulmir, com a expansão virtual, o ceticismo profissional é imprescindível. De acordo com o presidente do CFC, com todas as transformações digitais, o contador precisa desenvolver uma estrutura voltada a garantir a integridade, objetividade e confidencialidade dos sistemas, para o correto fornecimento das informações.

“A ética passa a ser a palavra de ordem no mundo digital. Se o risco é grande em um mundo palpável e físico, no cenário on-line é muito maior”, ressaltou Breda.


Na visão do presidente do CFC, a nova perspectiva da profissão engloba um contador mais voltado aos aspectos estratégicos, com visão de futuro e competências para a realização de análises diagnósticas, descritivas e, fundamentalmente, prescritivas das situações.

Zulmir Breda proferindo palestra no auditório do Expominas, durante a
XII Convenção de Contabilidade de Minas Gerais, em Belo Horizonte

Sobre o futuro da profissão, Zulmir Breda voltou a dizer que o mercado está em ascensão. De acordo com dados do CFC, de 2014 a 2018, o cenário das organizações contábeis no Brasil aumentou 53,84%, e o curso de Ciências Contábeis está entre os mais procurados no País.


“A quarta revolução industrial veio para auxiliar a profissão contábil e, não, destruí-la. Não há outro caminho a não ser entrar nesse ritmo de aperfeiçoamento e inovações, e o profissional que não fizer isso ficará para trás e, provavelmente, terá que mudar de profissão”, concluiu.


A presidente do CRCMG, Rosa Maria Abreu Ramos, ratificou a importância do papel do profissional da contabilidade como ator social para o desenvolvimento sustentável do país. “Espero que saiamos daqui com a certeza de que somos imprescindíveis na construção de um país ético, economicamente sustentável e livre de corrupção, onde possamos exercer nossa cidadania e trabalhar com entusiasmo todos os dias”, enfatizou.

A abertura também contou com a apresentação especial do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais. A corporação foi homenageada pelo CRCMG pelo importante trabalho humanitário realizado no caso do rompimento da barragem do município de Brumadinho, em janeiro deste ano, que resultou na morte de mais de 200 pessoas e milhares de pessoas atingidas.

Representante do Corpo de Bombeiros de MG, Zulmir Breda, presidente do CFC, e Rosa Maria Abreu, presidente do CRCMG

Fotos: CRCMG

Mais notícias sobre a XII Convenção de Contabilidade de Minas Gerais, clique nos links a seguir:

A reprodução deste material é permitida desde que a fonte seja citada.