Retomada da economia reforça importância do contador

Fonte: Assessoria de Comunicação Ministério do Trabalho

Profissionais contabilistas comemoram o dia com atuação fundamental em empresas, órgãos públicos e organizações contábeis 

O Brasil começa a viver uma fase de retomada do crescimento, quando empresas dos mais diversos setores e órgãos públicos precisam de informações e análises financeiras para as decisões de investimentos e ações regulatórias. Nesse contexto, o dia 22 de setembro ganha um significado maior, pois é dedicado a profissionais que têm atuação diretamente ligada, entre outras, a essas funções: os contadores. "Este profissional é muito importante, porque essa atividade têm impactos na gestão e no processo decisório empresarial, além de atividades de perícia e auditoria, que são fundamentais para o bom andamento e o crescimento da nossa economia”, comentou o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira.

O Dia do Bacharel em Ciências Contábeis marca um fato histórico, pois nessa data, no ano de 1945, foi criado o primeiro curso de Ciências Contábeis no Brasil, com a assinatura do Decreto-lei nº 7.988, pelo então presidente Getúlio Vargas. Antes, havia os cursos técnicos de Contabilidade e de Contador, mas nenhum deles como ensino superior. Com a formação de nível superior, os profissionais podem atuar em áreas de maior especialização.

De lá para cá, a atividade ganhou cada vez mais espaço no Brasil. Segundo dados da Coordenação de Estatísticas da Secretaria de Políticas Públicas e Emprego (SPPE) do Ministério do Trabalho (MTb), em agosto de 2017 havia 127.639 contadores com carteira assinada em atividade no País. O número aponta para um crescimento nos últimos anos, já que eram 114.372 em 2012.

Regiões - A maior concentração está no Sudeste, com destaque para São Paulo, com 50.583 profissionais. Em seguida vem o Rio de Janeiro, com 11.630, e Minas Gerais, com 10.675. Os estados da Região Sul também abrigam boa parte dos contadores brasileiros. A começar pelo Paraná, quarto da lista, que tem 8.654 profissionais da área. Depois vêm o Rio Grande do Sul, com 7.430, e Santa Catarina, com 6.726.

As mulheres são maioria entre os contadores com carteira assinada. São 66.812 contadoras e 60.827 contadores, segundo dados de agosto. Na divisão por faixa etária, os números mostram que 49.472 têm entre 30 e 39 anos; 28.009 de 40 a 49; 24.020 de 25 a 29; 16.946 de 50 a 64. Os demais se encontram nas outras faixas etárias.

Conselho - Já o Conselho Federal de Contabilidade (CFC) indica que o país tem 349.171 contadores ativos nos Conselhos Regionais de Contabilidade. Além disso, aponta que o Brasil tem 61.864 organizações contábeis, divididas entre sociedades (35.039), empresários (13.264), Micro Empreendedores Individuais – MEI (8.857) e Empresas Individuais de Responsabilidade Limitada – Eireli (4.704). A maioria dos profissionais ativos no CFC é do sexo masculino. São 188.260 homens, um pouco a mais do que as 160.911 mulheres que atuam na profissão.

História - A profissão de contador está ligada ao desenvolvimento da sociedade e da necessidade de proteção às posses. Essa necessidade chegou ao mundo medieval, quando foi publicado o Tratactus de Computis et Scripturis (Contabilidade por Partidas Dobradas), obra de Frei Luca Paciolo, que inseriu a contabilidade entre os ramos do conhecimento humano.

Já no Século XIX, no Brasil, a vinda da Família Real Portuguesa resultou na formação do Erário Régio, ou Tesouro Nacional e Público, e do Banco do Brasil (1808). No mesmo século, em 1840, foi publicada a obra de Francesco Villa, “La Contabilità Applicatta alle Amministrazioni Private e Pubbliche”, que fundamentou a ciência da contabilidade nos âmbitos público e privado.

A contabilidade do mundo científico iniciada no século XIX permanece até hoje, mas já aponta para novas características da profissão, diante dos avanços tecnológicos e das permanentes transformações da era moderna.

Tendências - Entre as tendências da área, especialistas destacam fusões e aquisições no mercado; profissionalização com melhorias de atendimento, de salários e rendimentos; maior eficiência com uso da tecnologia; atualização pessoal e profissional, incluindo marketing, gestão e vendas; segmentação; além da atuação global e em vários canais integrados de relacionamento.

 E além de obrigações fiscais, impostos e escrituração de livros, hoje os contadores já investem cada vez mais nos conhecimentos multidisciplinares, consultoria e resolução de conflitos, para atender às demandas por profissionais com capacidade de interpretação, análise e interligação dos dados. “Com a busca pela maximização do lucro, pelo aumento de vendas e com o alcance cada vez maior dos produtos das empresas, a importância do trabalho dos contadores também deve ser crescente”, observa o ministro Ronaldo Nogueira.

Contadores famosos – Mas, se a profissão de contador está relacionada a uma ciência exata, é curioso verificar que existem contadores (ou quase contadores) conhecidos por suas atuações em outros ramos do conhecimento, principalmente o artístico.

É o caso do cantor Mick Jagger, que estudou Contabilidade e Finanças na Escola de Economia de Londres, mas mudou de ramo ao conhecer Keith Richards e Brian Jones, com quem formaria os Rolling Stones. Outro músico que figura entre os contadores famosos é o saxofonista Kenneth Bruce Gorelick, o Kenny G, formado “Magna Cum Laude” em Contabilidade pela Universidade de Washington.

Já na literatura, os contadores são representados pelo escritor John Grisham, que se formou em Contabilidade e depois estudou direito penal, aproveitando essa bagagem cultural para escrever seus best-sellers.

Contabilista - Hoje, ainda há alguma confusão entre os termos usados na profissão contábil.  O termo contabilista abrange tanto a atuação dos contadores – profissionais que cursaram Ciências Contábeis –, quanto de técnicos em contabilidade – os sucessores do antigo guarda-livros, formados por cursos profissionalizantes de escolas técnicas ou nível médio –, cuja data é celebrada em 25 de abril.

Contadores com carteira assinada no Brasil

Ano 2012 2013 2014 2015 2016 ago/17
São Paulo 46.324 48.543 49.400 52.342 51.810 50.583
Rio de Janeiro 11.535 12.000 12.553 12.381 12.034 11.630
Minas Gerais 9.408 10.036 10.714 11.047 10.839 10.675
Paraná 7.456 8.005 8.545 8.801 8.775 8.654
Rio Grande do Sul 6.518 6.846 7.339 7.588 7.563 7.430
Santa Catarina 5.383 5.930 6.477 6.635 6.806 6.726
Bahia 3.719 3.807 3.928 3.926 3.865 3.797
Pernambuco 3.463 3.623 3.730 3.712 3.625 3.510
Goiás 2.532 2.822 2.936 3.198 3.253 3.185
Ceará 2.462 2.770 2.955 3.160 3.165 3.113
Distrito Federal 2.430 4.065 2.661 2.720 2.740 2.696
Espírito Santo 1.721 1.841 2.008 2.105 2.102 2.054
Mato Grosso 1.648 1.862 1.991 2.025 2.078 2.047
Amazonas 1.591 1.672 1.749 1.771 1.767 1.728
Pará 1.431 1.595 1.704 1.718 1.668 1.616
Mato Grosso do Sul 949 1.044 1.126 1.136 1.193 1.187
Rio Grande do Norte 973 1.065 1.108 1.167 1.158 1.137
Paraíba 771 803 883 932 1.095 1.082
Maranhão 754 864 924 929 967 955
Piauí 579 641 680 732 756 741
Alagoas 656 678 739 740 721 707
Sergipe 548 539 580 597 658 648
Tocantins 493 443 590 607 634 635
Rondônia 538 600 624 598 589 595
Roraima 180 188 192 201 200 195
Acre 155 163 178 184 178 166
Amapá 155 160 171 144 148 147
Total 114.372 122.605 126.485 131.096 130.387 127.639

 

Ministério do Trabalho
Assessoria de Imprensa
Daniel Hirschmann
imprensa@mte.gov.br
(61) 2021-5449

Supervisão ASCOM
Jorn. Eliana Camejo
eliana.camejo@mte.gov.br
(61) 99213-1667