Seminário é aberto em Brasília com a participação dos 27 CRCs

Por Ingrid Castilho e Maristela Girotto
Comunicação do CFC

"Vamos lutar e trabalhar pelo Sistema para fortalecer a nossa profissão", diz Zulmir Breda

Na abertura do Seminário de Planejamento Estratégico, Governança e Diretrizes Gerais do Sistema Contábil, o presidente do Conselho Federal de Contabilidade, Zulmir Ivânio Breda, afirmou que lutar pelo Sistema CFC/CRCs é o papel e o propósito dos dirigentes das entidades da classe. As palavras do presidente deram início, na manhã desta terça-feira (18), à solenidade de abertura do Seminário, na sede do Instituto Serzedello Correa, em Brasília (DF). A programação do evento, que teve início nesta segunda-feira (17), também conta com a solenidade de posse da nova Diretoria do CFC, eleita para a gestão 2020/2021, nesta quarta-feira (19).

Discutir e alinhar as metas e objetivos do Sistema CFC/CRCs para o novo biênio é o foco central do Seminário, que conta com a participação de mais de 200 profissionais, dos 26 estados e do Distrito Federal, entre presidentes, vice-presidentes e conselheiros das esferas nacional e estadual. Ao início da solenidade, Zulmir Breda relembrou que o Sistema CFC/CRCs surgiu em 1946, e que a atual estrutura da instituição é fruto do trabalho de diversos contadores ao longo da história. "Nós temos que dar continuidade a esse processo que começou há 74 anos. E esse encontro é importante para que possamos nivelar as informações e para que cada um entenda bem o seu papel", enfatizou o presidente.

Breda também destacou a presença de novos dirigentes e como isso impacta de modo positivo o Sistema. "Com as últimas eleições, nós tivemos 21 novos presidentes eleitos para os CRCs. Então, nós temos muitos rostos novos aqui – algo que é muito bom, pois dá aquele sentido de renovação que é necessário para que o Sistema recicle, ganhe novas ideias e mais dinamismo", afirmou.

Entre os pontos fortes do Sistema, citados pelo presidente, está a importância do Planejamento Estratégico, que atua como instrumento norteador para as ações desenvolvidas. Breda também mencionou que a missão do Sistema é inovar para o desenvolvimento da profissão contábil, zelar pela ética e qualidade na prestação dos serviços, atuando com transparência na proteção do interesse público. Ele citou a visão do Sistema, que é ser reconhecida como uma entidade profissional que participa no desenvolvimento sustentável do país e que contribui para o pleno exercício da profissão contábil e interesse público.

"A classe contábil precisa se apresentar para a sociedade como uma peça importante da engrenagem da economia do país. Nós temos, sim, responsabilidade pelo desenvolvimento do país. Nós não somos coadjuvantes nesse processo, mas protagonistas, e é assim que devemos nos portar em cada momento da nossa vida profissional", ressaltou Breda.
Os valores do Sistema – ética, excelência, confiabilidade e transparência – também ganharam destaque. Zulmir salientou que eles precisam ser parte da vida de qualquer contador, mas em especial dos dirigentes do Sistema. "Somos o espelho da classe contábil para a sociedade. É preciso ser ético em todas as ações, temos até um Código. Eu sempre tenho dito que o maior serviço que vendemos é a confiabilidade", acrescentou.

A inserção da profissão contábil brasileira em um contexto internacional foi outro aspecto abordado por Breda, que defendeu a importância da participação do CFC em organismos internacionais. “Para manter nossa profissão atualizada, nós buscamos subsídios fora do país, por isso temos representantes em quase todos os organismos internacionais da profissão, sendo o principal a Federação Internacional de Contadores (Ifac, na sigla em inglês)”, afirmou. O representante do CFC na Diretoria da Ifac é o vice-presidente Técnico, Idésio da Silva Coelho Júnior, que tem, nas palavras do presidente do CFC, um papel fundamental na discussão do papel da profissão em âmbito global.

Zulmir Breda utilizou um artigo da presidente do Painel Internacional de Educação em Contabilidade – organismo vinculado à Ifac, Anne-Marie Vitale, para abordar os grandes desafios da classe contábil, que está sentindo os impactos da era digital. O presidente do CFC disse que as organizações contábeis precisam contribuir para o desenvolvimento do profissional do futuro.

Nesse sentido, ele informou que a gestão está trabalhando para oferecer ensino a distância gratuito, com ênfase em cursos de tecnologia para todos os profissionais da contabilidade registrados. A previsão, segundo o presidente, é de que, no segundo semestre deste ano, o projeto seja concluído. “Além do conteúdo em tecnologia, serão disponibilizados outros conhecimentos para preparar o novo perfil de profissional”, disse, acrescentando que as mudanças tecnológicas estão transformando e reformulando os papeis que os contadores desempenham na sociedade.

Após a palestra do presidente, os demais membros do Conselho Diretor do CFC falaram sobre os trabalhos de suas respectivas áreas (veja matéria aqui).

A reprodução deste material é permitida desde que a fonte seja citada.