Contabilidade Ambiental é tema do primeiro dia de debates do IX Ecal

Por Thatyane Nardelli
Comunicação CFC

A Contabilidade Ambiental foi tema do primeiro dia de debates do IX Encontro de Contabilidade Amazônia Legal (IX Ecal), que está sendo realizado em Santarém, no Pará, com programação até sexta-feira (1º). Formado por profissionais da contabilidade e por mulheres de grande expressão, o painel contou com a participação de Araceli Ferreira, especialista em Contabilidade Ambiental e Desenvolvimento Sustentável; Úrsula Vidal, secretária de Cultura do Estado; Ticiane Santos, presidente do Conselho Regional de Contabilidade do Pará; e Ana Tércia Rodrigues, presidente do Conselho Regional do Rio Grande do Sul.

“Por um lado, podemos dizer que a Contabilidade Ambiental ajuda a analisar os impactos de uma empresa na natureza; por outro, ela também auxilia a determinar qual será o resultado financeiro desses impactos para a empresa”, afirmou Araceli Ferreira. De acordo com a especialista, por meio dessa contabilidade, é possível interpretar as informações ambientais geradas, a fim de ajudar as organizações a tomarem decisões.

Para Araceli, é preciso “olhar isso sobre uma ergonomia ambiental, que está quebrando paradigmas. Isso é pagar pelo serviço de manutenção da saúde do planeta. Uma forma diferente de olhar os serviços ambientais”.

Completando a fala da especialista, a presidente do CRCRS apresentou a importância dos indicadores socioambientais na construção da imagem de uma empresa: um papel que o profissional da contabilidade, com auxílio da tecnologia, pode construir. “As  informações produzidas pela contabilidade precisam mostrar sua utilidade não somente para os usuários diretos das demonstrações contábeis, mas para toda a sociedade, fazendo valer o tripé da sustentabilidade: social, ambiental e econômico-financeira”, ressaltou Ana Tércia.

A presidente do CRCRS também fez um alerta. “Estamos repensando nossos processos para torná-los menos agressivos e mais digitais. É um caminho natural para todas as empresas. O quanto antes iniciarmos essa transição, mais exitosos serão os resultados”, disse ela.

O painel também contou com a participação de Úrsula Vidal, secretária de Cultura do Estado, e com a mediação de Ticiane Santos, presidente do CRCPA.

A reprodução deste material é permitida desde que a fonte seja citada.