Combate à corrupção é tema da 15ª edição do Abraçando o Controle Social em Campo Grande

Cerca de 150 profissionais do estado participaram do evento, que reuniu autoridades do Governo e do Sistema CFC/CRCs

Por  Fabrício Lourenço
Comunicação CFC
Fotos: Mário Bueno

Mesa de honra

A corrupção existe em muitos países: seja nas instituições públicas, nas privadas ou, até mesmo, em pequenas ações realizadas no dia a dia pela sociedade. Alternativas de como combatê-la estão espalhadas nos quatro cantos do Brasil.

Reunidos no auditório do Sebrae, em Campo Grande (MS), na manhã desta quarta-feira (2), profissionais da contabilidade e de outra áreas do conhecimento demonstraram, na 15ª edição do projeto Abraçando o Controle Social, que frear a corrupção é mais fácil do que parece. O evento  integrou a programação do XIX Encontro Estadual de Contabilidade de Mato Grosso do Sul.

O objetivo do Projeto é conscientizar os profissionais da contabilidade e gestores das entidades públicas sobre o papel desses atores para o funcionamento dos mecanismos de controle internos e externos, disponibilizados pelo Governo, e buscar melhorar a gestão pública aperfeiçoando os serviços que são prestados à sociedade.

A presidente do Conselho Regional de Contabilidade de Mato Grosso do Sul, Iara Marchioretto, reforçou a importância do Abraçando. “É importante entendermos que o Controle Social nada mais é que a participação do cidadão na gestão pública, fortalecendo, assim, o combate à corrupção”, disse.

Iara Marchioretto

A vice-presidente de Desenvolvimento Profissional do CFC, Lucélia Lecheta, parabenizou a iniciativa e disse que a participação da classe contábil no fomento à transparência contribui para a retomada do crescimento. “Nós dispomos  de ferramentas que auxiliam na construção de políticas públicas que podem garantir a correta aplicação do dinheiro público resultado em um desenvolvimento mais sustentável do País”, explicou.

A vice-presidente de Desenvolvimento Profissional, Lucélia Lecheta

O representante da Associação dos Membros dos Tribunais de Contas do Brasil (Atricon), Eduardo Dionísio dos Santos, reiterou o compromisso da entidade e do Tribunal de Contas de Mato Grosso do Sul. “Os profissionais da contabilidade são fundamentais para que o controle social, a cada ano, se fortaleça”, disse. Segundo ele, “os acordos firmados com o Sistema CFC/CRCs, além de oferecerem a capacitação dos agentes públicos, promovem o imediato controle e fiscalização das contas públicas e, por consequência, ajudam a combater a corrupção”.

A mesa de honra foi composta pela presidente do Conselho Regional de Contabilidade de Mato Grosso do Sul (CRCMS),  Iara Sônia Marchioretto; a  vice-presidente do CFC, Lucélia Lecheta; o representante da  Controladoria-Geral da União, Fábio Valgas; Eduardo Dionísio dos Santos , da Associação dos Membros dos Tribunais de Contas do Brasil (Atricon); o presidente da Ordem dos Advogados de Mato Grosso do Sul, Mansour Elias Karmouche; e o representante da prefeitura, o secretário municipal da Controladoria-Geral  da Terceirização e Transparência, Luiz Afonso de Freitas Gonçalves.

O projeto Abraçando o Controle Social é uma realização do Conselho Federal de Contabilidade (CFC), da Academia Brasileira de Ciências Contábeis (Abracicon), da Fundação Brasileira de Contabilidade (FBC), do Conaci, da Atricon e conta com o apoio do CRCMS, da Controladoria-Geral da União e do Observatório Social do Brasil.

Profissionais apresentam iniciativas com foco no combate à corrupção

A palestra “O Papel e a Rede das Ouvidorias  como Instrumento de Proteção dos Usuários dos Serviços Público” abriu os trabalhos do evento. O representante da Controladoria-Geral da União, Fábio Valgas, fez uma explanação sobre a importância da Ouvidoria. Segundo ele, os canais de denúncia ajudam e alertam para possíveis fraudes e irregularidades.  Na ocasião, Valgas falou sobre o papel de ações como Ombudsman, Compliance e do Programa de Integridade .

Fábio Valgas

O secretário de Controle do Tribunal de Contas da União em Mato Grosso do Sul e representante da Rede de Controle e o Voluntariado, Tiago Modesto Carneiro Costa, apresentou um planejamento estratégico sobre como atua a Rede de Controle. Segundo ele, a entidade  está nos principais órgãos de controle, tanto federal, estadual e municipal, além dos três poderes. “Resolvemos nos unir aos gestores para o controle social. No país há um ambiente muito difícil de burocracia  e promessas não cumpridas. E com vontade, fiscalização e disposição podemos mudar esse cenário”, pontuou.

Tiago Modesto Carneiro Costa

A palestra “O programa de Integridade do MS” ficou a cargo do Controlador-Geral do Estado e vice-presidente do Conselho Nacional de Controle Interno (Conaci), Carlos Girão. Ele apresentou o programa que é aplicado no Estado e ressaltou a importância da adoção dessa política. “Tenho certeza de que a integridade veio para ficar. Ela permite o controle resultando em uma gestão mais eficaz e ética”, disse. Na mesma linha, a palestrante Camila Soléra dos Santos, coordenadora do Núcleo de Ações de Prevenção à Corrupção do Ministério de Transparência e Controladoria-Geral da União (MS), discorreu sobre os pilares da integridade. Segundo ela, o comprometimento da alta direção é fundamental. “Se o alto escalão não estiver envolvido nas ações, a corrupção vai acontecer”, esclareceu.

Carlos Girão

Camila Soléra

O ciclo de palestras foi encerrado com o tema “Transmissão de Informações ao Coaf  (Unidade de Inteligência Financeira U.I.F)) e Canais de Denúncia, pelo contador Jonatas Dutra Sallaberry. Ele lembrou os casos de corrupção ao longo dos anos e disse que é fundamental que os contadores saibam e estudem a  legislação vigente da  UIF. “O contador precisa ter conhecimento dos detalhes da norma e utilizá-la com segurança e ética, evitando, assim, fraudes e lavagem de dinheiro”, reforçou.

Jonatas Dutra Sallaberry

A mesa de honra foi composta pela presidente do Conselho Regional de Contabilidade de Mato Grosso do Sul (CRCMS),  Iara Sônia Marchioretto; a  vice-presidente do CFC, Lucélia Lecheta; o representante da  Controladoria Geral da União, Fábio Valgas; Eduardo Dionísio dos Santos , da Associação dos Membros dos Tribunais de Contas do Brasil (Atricon); o presidente da Ordem dos Advogados de Mato Grosso do Sul, Mansour Elias Karmouche; e o representante da prefeitura, o secretário municipal da Controladoria-Geral  da Terceirização e Transparência, Luiz Afonso de Freitas Gonçalves.

 

 

A reprodução deste material é permitida desde que a fonte seja citada.